VISUALIZAÇÕES

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Silvio Santos assina venda do banco PanAmericano ao BTG Pactual



O BTG Pactual, banco de investimentos de André Esteves, acaba de acertar a compra do PanAmericano, o banco de Silvio Santos. Por volta das 18h30, o apresentador dirigia-se à sede do Pactual, em Pinheiros, para assinar a venda.
O Fundo Garantidor de Créditos aceitou dar um empréstimo adicional de R$ 1,5 bilhão ao PanAmericano --o BTG Pactual acertou o pagamento de R$ 450 milhões, único reembolso feito até agora. Em novembro do ano passado, o fundo já havia emprestado R$ 2,5 bilhões. Sem o aporte desses R$ 4 bilhões, o Banco PanAmericano quebraria, segundo executivos que participam da nova gestão.

No momento em que Silvio dirigia-se ao fundo para assinar a venda, executivos do PanAmericano preparavam um comunicado ao mercado, chamada tecnicamente de "fato relevante", anunciando a entrada do novo controlador.
Uma hora antes, o apresentador informara seus advogados de que não tinha nada mais contra a venda do PanAmericano ao BTG Pactual.
Não dá para saber nesse momento os termos em que o negócio está sendo fechado.
O PanAmericano tem um rombo de R$ 4 bilhões e passava por uma situação dramática --corria o risco de faltar recursos para operar até o final da semana.
Silvio não tinha mais condições de ficar à frente do banco por pressões do Banco Central. Depois que se descobriu que o rombo era de R$ 4 bilhões --e não de R$ 2,5 bilhões-- o BC informou o apresentador de que ele não podia mais permanecer à frente da instituição.
O BTG Pactual é um dos principais bancos de investimentos do país. Tem à frente dois banqueiros jovens e agressivos, André Esteves e Pérsio Arida.
No final do ano passado, o Pactual recebeu um aporte de US$ 1,8 bilhão, feito pelos fundos soberanos da China e de Cingapura. Com a entrada desses recursos, o Pactual passou a ter um capital de US$ 4,3 bilhões.

Dilma quis desistir de caças e submarinos


Em recente encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff, preocupada com as contas do governo, ponderou sobre a compra dos 36 caças na licitação da FAB e a do submarino nuclear pela Marinha, projetos de aproximadamente R$ 50 bilhões. Dilma citou orientações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, sobre segurar os gastos. Lula, meio à brinca, meio a sério, soltou: “Se você ficar ouvindo o Mantega, não vai conseguir fazer nada no governo”. O fato é que, por ora, os caças são esboços, e o submarino nem mergulhou num tanque. Os processos de compra continuam, a que velocidade é um mistério.

FONTE: Jornal do Brasil, via blog Notícias Militares

Comandante do Exército acompanha obras para os 5º Jogos Mundiais Militares

SEM COMENTÁRIOS....

Rio de Janeiro - Os 5º Jogos Mundiais Militares do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM) - Rio 2011 serão o maior evento esportivo militar já realizado no Brasil. O evento acontecerá na cidade do Rio de Janeiro, de 16 a 24 de julho de 2011, e reunirá cerca de 8 mil participantes. Serão, aproximadamente, 6 mil atletas e 2 mil delegados vindos de mais de 100 países. O Brasil participará com 250 atletas e estará representado em todas as modalidades.
Para isso, os organizadores do evento dedicaram grande parte dos esforços para a perfeita acomodação de todos os envolvidos nos Jogos. Os atletas participantes ficarão alojados em três Vilas Militares, todas localizadas na cidade do Rio de Janeiro, sendo duas em Deodoro e uma em Campo Grande.
Os projetos das Vilas atendem às orientações ambientais do município do Rio de Janeiro, que exige a preservação da mata nativa, e contemplam todas as exigências do CISM. Serão 106 edifícios com 1.206 apartamentos de quatro quartos.
Ao Exército coube a responsabilidade de construir a Vila Verde, a qual terá a capacidade de atender 2.396 atletas. Localizada em Deodoro, serão 17 blocos com seis andares cada, somando 408 apartamentos.
No dia 21 de janeiro, o Ministro da Defesa, Senhor Nelson Jobim, e o Comandante do Exército, General de Exército Enzo Martins Peri, estiveram na cidade do Rio de Janeiro acompanhando a execução das obras das três Vilas. Além das obras em andamento, a comitiva verificou as instalações do recém-inaugurado Estande de Tiro de 300 metros, no Centro Nacional de Tiro Esportivo Tenente Guilherme Paraense, primeira obra a ser entregue para os Jogos Mundiais Militares e que foi utilizada durante o 45º Campeonato Mundial Militar de Tiro, realizado no início de dezembro de 2010.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Jogador do Flamengo se envolve em confusão que termina com PM preso.

Confusão aconteceu em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio.
Polícia diz que Éverton Silva estava com habilitação vencida.


O jogador do Flamengo Éverton Silva se envolveu em uma briga de trânsito, neste domingo (30), após sair de uma boate em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Durante a discussão, um policial militar do 6º BPM (Tijuca) que estava de folga foi preso. O PM é acusado de atirar contra um carro e roubar o som do veículo.
De acordo com a polícia, a confusão começou quando um carro bateu na traseira do veículo do jogador na Estrada do Catonho, em Jacarepaguá. Um terceiro carro, que vinha em seguida, não conseguiu frear e atingiu o carro que bateu no veículo de Éverton.
Ainda segundo o relato da polícia, dois PMs estavam neste terceiro carro. Um deles desceu do veículo armado e apontando a arma para a cabeça do jogador e dos outros envolvidos no primeiro acidente, perguntou quem era o dono do carro com que ele tinha acabado de colidir. Com receio, os jovens se negaram a dizer quem era o proprietário.
PM atira três vezes
Revoltado, o PM atirou três vezes contra o veículo em que bateu e levou o aparelho de som, alegando que o equipamento seria para ressarcir o seu prejuízo. Um dos ocupantes do segundo carro ligou para a Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM), que foi até ao local.
O delegado responsável pelo caso, Angelo Lages, da 33ª DP (Realengo), disse que ao perceber a chegada da PM, o jogador Éverton Silva fugiu. A polícia descobriu que o lateral direito não tinha carteira de motorista. Por causa disso, o delegado afirmou que vai indiciar o jogador por dirigir sem carteira de habilitação e por fuga de local de acidente.
Advogado nega versão
O advogado do jogador, Diogo Souza, nega a versão da polícia. Souza explicou que seu cliente estava acompanhado de um amigo, e que parou o carro na Estrada do Catonho para ajudar um primo que estava com problemas em seu veículo. Ao ter o carro atingido, o amigo do jogador ligou para um reboque.
Segundo o advogado, quando houve o segundo acidente, o carro de Éverton já estava em cima do reboque. Ao escutar os tiros, o jogador foi embora sozinho no reboque.
“Ele ficou com muito medo de ser atingido por uma bala perdida. Como o carro dele já estava em cima do reboque, ele foi embora. Não sei se o Éverton está com a carteira de motorista vencida. O que posso dizer é que essa pessoa que o acompanhava é que estava dirigindo o seu veículo”, afirmou Diogo Souza.
PM é preso por colega de farda
Assim que a PM chegou ao local do acidente, um policial da DPJM deu voz de prisão ao colega de farda. O PM foi encaminhado para a 33ª DP (Realengo). O delegado Angelo Lages explicou que o policial foi atutuado pelos crimes de disparo de arma de fogo em local público, dano patrimonial e roubo qualificado. Segundo Lages, os crimes podem render até 18 anos de prisão.
O relações-públicas da PM, coronel Lima Castro, afirmou que o PM vai prestar depoimento ainda neste domingo à 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar. Após prestar esclarecimentos, o policial será encaminhado para exames no hospital da corporação, e, em seguida, ele vai para a unidade prisional da PM, em Benfica, na Zona Norte.
Comportamento inadequado
O coronel classificou como inadequado o comportamento do PM. De acordo com Lima Castro, o policial pode até ser expulso da corporação.
“A Polícia Militar está apurando o fato e, caso seja necessário, a punição será rigorosa. Ainda é prematuro se falar de expulsão, mas essa sem dúvida é uma medida que pode ser aplicada”, comentou o coronel.
Arma era de outro PM
Lima Castro informou ainda que a arma usada no crime era do outro PM que estava no carro. No entanto em depoimento, o policial disse que ficou tonto com a batida e não viu quando o amigo pegou a arma. O segundo PM trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela do Batan, em Realengo, na Zona Oeste.
FONTE: G1.GLOBO.COM

"A MONTANHA": SAGA DOS PRACINHAS DA FEB VIRA FILME!



Finalmente teremos um filme sobre os combatentes brasileiros que atuaram nos campos da Itália na luta contra o nazifascismo no período de 1944-1945, digno de ser visto.Seu autor Vicente Ferraz, foge um pouco do viés documentarista, parte de uma ficção, retratando a tomada de Monte Castello, que dá titulo ao filme, A Montanha. Tal fato na época, se constituiu no maior desafio da tropa brasileira. Logisticamente, o Monte Castello, está situado próximo a Bolonha, cerca de 60 quilômetros, um baluarte alemão que compunha a Linha Gótica, fortemente armada, com mais de 200 mil minas terrestres, além dos fossos anti tanques, e os fortins guarnecidos por atiradores de elite.
A missão mais importante era tomar esta montanha, chamada de Fantasma pelos brasileiros. Por ela passava a Estrada 64, que ligava o norte, ao sul da Itália, local preponderante para quem necessitava levar reforços para suas tropas. Por outro lado, os norte americanos, dos quais éramos aliados, precisavam tomar Bolonha, centro nevrálgico no final da guerra. Ao passar a responsabilidade aos brasileiros de tomar esta montanha, a intenção era também dividir as forças nazistas. Da parte brasileira, foram necessárias 5 tentativas para a conquista do local, tudo sendo iniciado em novembro de 1944, com tropa “fresca” e mal preparada.
Para o pesquisador que se debruça sobre a história dos veteranos brasileiros nesta guerra, dificilmente deixa de encontrar referencias á tomada de Monte Castello, seja em documentos oficiais, bem como em periódicos da época, registrados pelos correspondentes de guerra brasileiros, nos jornais dos batalhões, nas memórias dos pracinhas ou em seus diários, como o material por mim pesquisado e transformado em livro com o titulo Diários de Guerra, recentemente lançado.
Em relação ao filme de Vicente Ferraz, embora conduzindo uma ficção, o autor narra a história de quatro combatentes, que diante de uma ataque surpresa do inimigo em Monte Castello, abandonam seu grupamento, tentam depois retornar às linhas brasileiras, mas caem em um campo minado e diante do comprometimento do dever e da honra, temem pelo estigma da deserção.
Na narrativa que encaminha, sem o comprometimento factual, possivelmente, o autor nos aproxime dos episódios ocorridos do dia 2 de dezembro de 1944. Desde novembro desse ano, vinha a tropa brasileira empenhada na conquista da montanha, sem sucesso.Neste dia, seguindo uma missão de guerra, os soldados do 1º batalhão do 11º. Regimento de São João Del Rey, substituiria outro do Regimento Sampaio. Eram tropas extenuadas, pela acirrada ânsia da conquista em local estrategicamente difícil, sob forte impacto continuo da artilharia alemã. Os recém chegados foram influenciados por noticias desalentadoras que minavam o moral dos soldados, estes, jovens recrutas sem o amadurecimento psicológico para tal enfrentamento.
Diante de fogo pesado da artilharia , os soldados debandam, na corrida desenfreada, deixam para trás armamento, equipamentos e munição, perdem os companheiros, e chegam na cidadezinha de Porreta Therme, local do quartel general brasileiro. Desorientados, com os olhos esbugalhados e sujos de lama, foram vistos com incredulidade e desdém pelos habitantes. Lamentavelmente foram considerados covardes, mas sem julgamento, e nenhum apoio receberam do comandante da infantaria general Zenóbio da Costa. Ainda hoje tal assunto é considerado tabu entre os soldados.
Sobre o filme, trata-se de um grande projeto totalmente filmado na Itália, desde 2007. Partem agora seus idealizadores para as ultimas tomadas feitas nos locais ,nos montes nevados onde os fatos aconteceram. Atuam neste filme cerca de 25 atores dentro de um consórcio brasileiro, português e italiano, a previsão é de RS 9 milhões nesta produção do longa metragem. Cenas de minas que explodem, em um tempo quase real, foram alguns desafios enfrentados pelos protagonistas, após intenso treinamento com equipes especializadas do Exército Brasileiro. Entre os atores, alguns conhecidos como Richard Sammel de Bastardos Inglórios e Sergio Rubini .
Vimos um trecho do filme no teaser, chamou a nossa atenção pela beleza das imagens, em um cenário pouco conhecido dos brasileiros. Acreditamos que o filme seja um marco e motivação para o conhecimento de fatos ligados à participação brasileira na 2ª Guerra Mundial, retratando a saga de 25 mil brasileiros nos momentos vibrantes desta história tão pouco valorizada em nosso meio.

FONTE: PORTAL DA FEB

SUBTENENTE DO EXÉRCITO É AUTUADO POR EMBRIAGUEZ AO VOLANTE

Subtenente do Exército é autuado por embriaguez ao volante

Policiais abordaram o subtenente dirigindo um veículo Frontier, no Jacintinho

MACEIÓ-O subtenente da reserva do Exército Genésio Lins da Silva, de 51 anos, foi autuado em flagrante, na noite desse sábado, por embriaguez ao volante.
Em rondas, policiais do Batalhão de Polícia de Eventos (BPE), da Polícia Militar, abordaram o subtenente que estava em seu veículo Frontier, cor prata e placa JWS – 8191, na Avenida Cleto Campelo, no Jacintinho.
Segundo a PM, após o teste do bafômetro, foi constatado resultado acima do permitido.
O acusado foi encaminhado para a Central de Polícia, no bairro do Prado, onde foi autuado por embriaguez ao volante.

FONTE: GAZETA DE ALAGOAS

FX-2: "MEU CONHECIMENTO TÉCNICO É IGUAL AO DO JOBIM [NENHUM], DIZ LUIS MARINHO SOBRE COMPRA DOS CAÇAS

Marinho voou no caça sueco Gripen, em março de 2010
"Jobim fechou as portas", diz Luiz Marinho sobre compra de caças
Prefeito de São Bernardo tenta influenciar no negócio que envolve R$ 10 bilhões. 

Apesar de estar fora do governo federal desde que se elegeu prefeito de São Bernardo do Campo (ABC paulista) em 2008, Luiz Marinho (PT) tenta influenciar no projeto mais caro do governo federal: a compra de 36 caças para a Força Aérea, orçada em R$ 10 bilhões.
Marinho reconhece não ter conhecimento técnico sobre os aviões. Afirma estar em busca de investimentos para o município. Com os suecos, diz ter feito um acordo para criação de um centro de tecnologia, em São Bernardo do Campo, no valor de US$ 50 milhões.
Nesta terça-feira (3), Marinho viaja para a França onde visita a sede da empresa Dassault, que produz o Rafale _ até então favorito para vencer a concorrência. Em março de 2010, ele esteve em Estocolmo para conhecer o caça Gripen, da Saab.
“Meu conhecimento técnico é igual o do (Nelson) Jobim. Estamos empatados”, disse em entrevista ao iG. Ele contou que, após a ida a Estocolmo, procurou integrantes do governo para defender o Gripen, mas disse que não foi recebido por Jobim.
“Falei com o presidente Lula e com alguns ministros. No entanto, não tive a chance de conversar com o ministro Jobim. Ele fechou todas as portas”, afirmou. Leia abaixo os principais trechos da entrevista.

FONTE: ÚLTIMO SEGUNDO (IG)


EMPRESA BRASILEIRA VAI VENDER VEÍCULOS MILITARES PARA OS FRANCESES


Iveco fornece veículos às Forças Armadas Francesas

O contrato formalizado entre a Iveco e as Forças Armadas Francesas inclui um fornecimento inicial de 200 veículos, no valor de cerca de 160 milhões de euros.

A Iveco, em associação com a companhia francesa Soframe – subsidiária do Alsatian Lohr Group –, foi contratada para fornecer veículos militares multi-funções às Forças Armadas Francesas. O contrato estabelecido inclui um fornecimento inicial de 200 veículos, no valor global de cerca de 160 milhões de euros, e é parte de um contrato de fornecimento com tranches sucessivas até um máximo de 2400 unidades, para um volume total de negócio de 800 milhões de euros.
Os veículos militares de elevada mobilidade e tracção integral nos quatro rodados (8x8) são fornecidos pela Astra, empresa que é parte da Iveco Defence Vehicles, a companhia especializada no fornecimento de material táctico de defesa, com propostas numa enorme variedade de configurações, sendo também especialista no design e produção de soluções de fora-de-estrada para os sectores da construção e mineiro.
Os veículos previstos para o exército francês estão dotados de uma cabina parcialmente blindada, diferentes secções móveis, reboques e gruas para desempanagem de veículos militares, assegurando uma protecção máxima às equipas que os manobram, bem como uma enorme flexibilidade operacional e capacidade de carga. A entrega incluirá peças sobressalentes para a sua correcta manutenção e operacionalidade.


A estrutura de chassis e a carroçaria serão construídas e montadas em França pela Soframe, parte do Alsation Lohr Group. As especificações do veículo incluem motores da gama Cursor, FPT Industrial, igualmente produzidos em França, bem como outros componentes importantes de origem francesa.
O contrato, resultado do concurso emitido pela DGA em 2007, seleccionou a Iveco e a Soframe, cujas propostas foram identificadas como sendo as melhores em termos técnicos e económicos, representando o mais complexo e abrangente contrato europeu neste sector em 2010 e está entre os maiores atribuídos pela DGA.
Com este importante contrato de fornecimento, a Iveco, em conjunto com os seus parceiros, consolida a sua liderança do mercado europeu de produtos para o sector militar, para o qual sempre apresentou soluções inovadoras quer para os veículos em si, quer para as avançadas tecnologias que lhe são aplicadas em termos de componentes militares específicos, tais como a protecção da cabina do condutor, o serviço de assistência e de manutenção, aspectos essenciais para os veículos deste importante sector, respondendo assim à totalidade das necessidades e requisitos das forças armadas francesas.

POSTADO POR: MONTEDO.COM

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Área econômica pede firmeza com centrais

Secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho

Planalto tentará vincular a correção da tabela do IR ao mínimo de R$ 545
A área econômica aconselhou o Palácio do Planalto a ter uma postura mais firme, hoje, no encontro com as centrais sindicais: correção da tabela do Imposto de Renda só com a garantia de que o salário mínimo será de R$ 545. Mas o discurso duro da área técnica esbarra na necessidade política de o governo Dilma Rousseff chegar a um acordo com as centrais.
O secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, reúne-se com os presidentes das seis principais centrais sindicais do país sabendo que o governo terá que melhorar sua proposta.
Aliados políticos apostam que, apesar do discurso duro, o limite nas negociações seria um mínimo de R$ 550, o que exigiria mais cerca de R$ 3 bilhões além do já previsto para os R$ 540 fixados pela medida provisória 516, editada ainda em dezembro. Já as tabelas do Imposto de Renda das Pessoas Físicas seriam reajustadas em 6,46%.
Apesar de a presidente Dilma Rousseff ter mandado a Fazenda fazer simulações com o salário mínimo até R$ 580, a posição da área econômica é de que o governo não pode correr o risco de concordar em corrigir a tabela do Imposto de Renda e depois não conseguir aprovar o mínimo de de R$ 545 no Congresso.
As simulações já foram feitas para uma eventual correção das tabelas em 6,46%, que representaria uma renúncia fiscal superior a R$ 2,5 bilhões por ano.
Esse seria o  valor da renúncia considerando a base de declarantes que existia em 2006, quando o governo fez a última negociação sobre a correção da tabela. Mas desde então, o número de pessoas físicas que prestam contas ao Leão subiu graças ao aumento da renda e da formalização no mercado de trabalho.
A maior preocupação dos técnicos do governo é mesmo com o salário mínimo, especialmente num momento em que a economia está fortemente aquecida e que é preciso segurar a demanda que pressiona a inflação. Isso sem contar com o impacto fiscal.
Cada real de correção no mínimo representa uma despesa de cerca de R$ 286,4 milhões, sendo que a equipe econômica está estudando fazer um corte no Orçamento que pode chegar a R$ 40 bilhões.
FONTE: O GLOBO

Presidente do TCU dá aula paga a órgãos que fiscaliza.



Benjamin Zymler recebeu pelo menos R$ 228 mil por palestras desde 2008. Ministro do tribunal afirma que palestras e cursos ministrados por ele de 2008 a 2010 eram "atividades docentes"
Rubens Valente, Folha de S. Paulo
Órgãos públicos e entidades submetidos a fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União) pagaram ao menos R$ 228 mil ao presidente do tribunal, ministro Benjamin Zymler, por palestras e cursos de um ou dois dias entre 2008 e 2010.
Após as palestras, Zymler seguiu como relator de seis procedimentos e participou de ao menos cinco julgamentos de processos de interesse dos contratantes. Em nenhuma das vezes entendeu que havia motivo para se declarar impedido.
As palestras, os custos e as agendas de Zymler não são divulgados pelo site do TCU.
No final de 2008, ele ministrou a servidores da Eletronorte (Centrais Elétricas do Norte do Brasil), por R$ 21,5 mil, curso de dois dias intitulado "Licitações e Contratos sob a Ótica do TCU".
Zymler é ou foi relator de 41 processos que têm relação direta com a Eletronorte. São provenientes de denúncias de irregularidades, auditorias e acompanhamento.
Meses depois da palestra, Zymler relatou um processo de monitoramente de obras da Eletronorte na usina de Tucuruí (PA). Ele concordou com a área técnica do tribunal e mandou reclassificar os indícios de "irregularidades graves com retenção de pagamento" para "irregularidades graves com recomendação de continuidade".
No ano passado, Zymler recebeu R$ 59 mil por um curso de dois dias, segundo pesquisa realizada a pedido da Folha no Siafi (sistema de acompanhamento de gastos do governo) pelo site Contas Abertas. O pagamento foi feito pela UFABC (Fundação Universidade Federal do ABC), de Santo André (SP), vinculada ao Ministério da Educação.
Zymler abriu uma empresa, a EMZ Cursos e Treinamento, que passou a ser contratada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), para uma série de sete palestras em várias capitais. Cada uma custou R$ 13 mil.
Por R$ 20.232,16, o Inpi (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) contratou Zymler para um curso de oito horas de duração, realizado num único dia, no Rio.

Descaso com donativos é flagrado em Nova Friburgo, na Região Serrana.



Descaso com donativos é flagrado em Nova Friburgo, na Região Serrana, roupas foram jogadas no chão por caminhão da Secretaria de Educação.
  
Prefeitura vai abrir inquérito administrativo para apurar o caso.

Na cidade de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, atingida pela enxurrada do último dia 11, uma equipe da Rádio CBN registrou um flagrante de descaso com os donativos. Segundo moradores, roupas doadas foram despejadas no chão por um caminhão da Secretaria de Educação de Nova Friburgo.

As imagens foram gravadas na localidade Floresta, no distrito de Conselheiro Paulino. Muita gente tentou aproveitar as peças espalhadas na calçada. Tudo ficou revirado.

A prefeitura informou que vai abrir inquérito administrativo para apurar o caso e se ficar comprovado que o motorista descarregou as doações, ele será demitido.

O número de mortos pelas chuvas que atingiram a Região Serrana do Rio de Janeiro no início do mês chega a 820, de acordo com as prefeituras das cidades afetadas pela tragédia.

Sítio de traficante Juan Abadia vira clínica para dependentes em MG



Um sítio em Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, que pertencia ao traficante colombiano Juan Carlos Abadia, agora vai ajudar dependentes químicos. O local ficou fechado durante quatro anos e foi comprado por uma associação de Pouso alegre, nesta segunda-feira (24).
A expectativa do grupo é que sejam tratadas 150 pessoas no local. O trabalho deve começar em fevereiro.

O sítio, que havia sido comprado em um leilão por uma empresa de São Paulo, foi vendido à associação de Pouso alegre por R$ 640 mil. O local tem uma área de 20 hectares.

FONTE: G1.GLOBO.COM

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

PASSAGEM DE DIREÇÃO DO CAMPO DE INSTRUÇÃO DE JUIZ DE FORA



O GEN BDA WALMIR ALMADA SCHNEIDER FILHO, COMANDANTE DA 4ª BRIGADA DE INFANTARIA MOTORIZADA, BRIGADA 31 DE MARÇO, CONVIDA PARA PASSAGEM DE DIREÇÃO DO CAMPO DE INSTRUÇÃO DE JUIZ DE FORA, DO CEL INF MALBATAN LEAL PARA O TEN CEL CAV SÉRGIO MARRAFÃO JÚNIOR.

DATA: 25 DE JANEIRO DE 2011
HORA: 20 HORAS
LOCAL: ESTRADA RIBEIRÃO DAS ROSAS - BAIRRO BARBOSA LAGE

Dilma estuda reajuste para mínimo e correção da tabela de IR



O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, informou na segunda-feira por meio da assessoria que a presidente Dilma Rousseff acionou o Ministério da Fazenda e pediu simulações para reajuste do salário mínimo e correção da tabela de Imposto de Renda.
Na próxima quarta-feira, Carvalho se reúne com as centrais sindicais para negociar um reajuste para o salário mínimo maior do que o autorizado pela medida provisória editada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de R$ 540. Os sindicalistas também querem a correção da tabela de Imposto de Renda pelo INPC de 2010, que fechou em 6,47%.
Segundo Carvalho, a presidente ainda está "formulando uma decisão" e a negociação permanecerá aberta até a reunião com as centrais sindicais. A presidente pode optar por um ajuste simples na medida provisória editada por Lula, apenas para atualizar o índice defasado.
Quando Lula editou a MP, o INPC ainda não estava fechado e, por isso, o salário mínimo ficou estabelecido em R$ 540. Com o INPC cheio (6,47%), o salário mínimo seria de R$ 543 e arredondado para R$ 545.
Contudo, há pressão de parlamentares da base aliada e dos sindicalistas para que esse valor seja maior. Deputados e senadores já apresentaram emendas à MP com valores que variam de R$ 560 (emenda do deputado Eduardo Cunha) a até R$ 600 (emenda proposta pela oposição).
O pedido de Dilma para a Fazenda também indica que pode haver uma solução casada, envolvendo um reajuste do mínimo acima dos R$ 545, que atende a vontade das centrais, e até uma correção da tabela do Imposto de Renda, como forma de compensar um aumento do mínimo apenas pelo INPC.
O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, disse à Reuters que no governo Lula essas simulações já tinham sido feitas, mas foram para a gaveta quando o ex-presidente bateu o martelo nos R$ 540. "Eu não participei da reunião com a presidente, então não sei o que foi decidido. Mas ela pode querer olhar as simulações antes de decidir", disse.
Até agora, Dilma não falou sobre o tema e não respondeu às manisfestações que os sindicalistas fizeram nas últimas semanas, como o ingresso de ações judiciais para conseguir o reajuste da tabela de Imposto de Renda.

FONTE: TERRA.COM.BR

A DIFERENÇA ENTRE O SALÁRIO DO DELEGADO QUE PILOTA O JATINHO DA POLÍCIA FEDERAL E O DO CORONEL QUE PILOTA O BOEING DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

ERJ 145 ER DA POLÍCIA FEDERAL


Governo: salários diferentes para trabalhos iguais

Determinada a acabar em seu governo com as distorções salariais no serviço público, a presidenta Dilma Rousseff viajou hoje a São Paulo ao lado de um exemplo disso: o coronel aviador que pilota o avião presidencial de US$ 156 milhões ganha apenas R$ 8.900,00 de salário, enquanto o delegado piloto do jato Embraer 145 da Polícia Federal, de R$ 50 milhões, recebe R$ 19.900,00 mensais, como, aliás, é justo.

AIRBUS-A319 DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

POSTADO POR: CLÁUDIO HUMBERTO

Ex-senador Luiz Estevão busca acordo para pagar dívida

 Ex-senador Luiz Estevão

Acusado de comandar um dos maiores e mais ruidosos casos de corrupção do país, ao lado do juiz aposentado Nicolau dos Santos Neto, o ex-senador Luiz Estevão quer parcelar o que deve ao erário em suaves prestações.
Após 11 anos do desvio de recursos da obra do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo (TRT-SP), o ex-parlamentar tem quase R$ 1 bilhão a pagar, nas contas da Advocacia-Geral da União (AGU). Sem sucesso numa desgastante batalha judicial para anular a cobrança, propõe dividir em 15 anos, e com desconto, o pagamento de uma dívida que é cobrada há quase dez.
Varrido da cena política e acumulando condenações pelo superfaturamento do prédio, Estevão diz que não está arrependido ou assinando recibo de culpa. O principal motivo é a asfixia financeira causada pelo bloqueio dos bens do Grupo OK, de sua propriedade.
Por ordem judicial, a incorporadora de imóveis não pode vender ou negociar nada desde 2000. E 25% da receita com aluguéis (cerca de R$ 2,5 milhões mensais) têm de ser depositados em juízo, graças a decisões dos últimos três anos. Mas para fazer o acerto, ele quer o desbloqueio dos bens.
O débito original, apurado em 2001 pelo Tribunal de Contas da União (TCU), era de R$ 169,4 milhões (em valores de maio de 1999). Atualizado, o montante alcança R$ 953,18 milhões, segundo a AGU. Embora sustente que o valor esteja inflado, Estevão admite que, se houver base legal para a cobrança, arca com até R$ 812,15 milhões. 
FONTE: O GLOBO


PRESIDENTE LUGO E O HELICÓPTERO DA FAB.



Estão vendo esse helicóptero branco? É um Super Puma, da FAB, usado para transportar as nossas autoridades, inclusive a presidente da República. Ela me foi enviada por um leitor lá do Condomínio Laranjeiras, em Paraty, o mais exclusivo do eixo Santos-Rio.

No domingo, transportou o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, levado até a casa do médico oncologista Frederico Perego Costa, do hospital Sírio-Libanês. Costa tratou do linfoma de Lugo. Estava previsto que o presidente paraguaio deixaria Paraty na manhã desta terça, às 6h30. No mesmo helicóptero.

Pode até ser que Lugo tenha ido à casa do médico para tratar de sua doença, não se sabe. Mas o lugar certo para cuidar desses assuntos, desde sempre, é o hospital, ainda mais quando se mobiliza uma aeronave oficial. O Brasil é a grande mãe generosa da Unasul… Em tempo: até onde apurei, o médico não estava lá; era outra pessoa, Leonardo, a recepcionar o presidente. Melhor para Lugo se foi apenas passear com o helicóptero da FAB!

POSTADO POR: Reinaldo Azevedo